Nova Iorque, eu te amo

newyo5rk

por Grazi Meyer*

Eu lembro do dia em que Nova Iorque entrou na minha vida: minha tia, que tinha se mudado pra cidade uns dois anos antes, veio nos visitar e contou sobre a liberdade das pessoas. ‘Lá cada um é do jeito que quer’ – ela disse. ‘A gente anda na rua e encontra punks, senhorinhas de tailleur, gente de cabelo azul… As pessoas saem de pijama pra comprar pão e ninguém olha estranho.’
Eu era uma jovem mocinha enlouquecida com a idéia de sair de casa vestindo pijamas e montei na minha cabeça fértil uma imagem linda sobre esse lugar incrível, onde os cabelos são coloridos e as pessoas felizes. Um tempinho depois, o marido dessa tia, apareceu contando as aventuras e peripécias que rolavam no bar que eles tinham aberto no número 62 da avenida C no East Village e eu quis desesperadamente conhecer esse mundo onde o pessoal falava de amor, onde a turma tocava aquelas músicas muito malucas cercada dos amigos e de gente incrível, todo mundo se misturando com todo mundo. Todo mundo sendo e fazendo feliz. Esqueci de contar que minha tia é bailarina e o marido dela, músico e todo o resto da minha família – sem contar meus irmãos que tão no mesmo caminho perdido que eu – tem profissões socialmente respeitáveis. Então aquele universo me pareceu mais legal que a Disneylândia.
O tempo passou e um belo dia, encontrava-me eu de coração partido e futuro incerto, querendo fazer alguma coisa muito grande da minha vida e me vi sentada numa sala enorme, numa daquelas palestras que prometem resolver sua vida em dez passos, no meio de um batalhão de gente buscando prosperidade, amor, sucesso profissional e o corpo da Cleo Pires. E daí que a moça no microfone perguntou qual era o meu sonho, a coisa que eu mais queria realizar naquele momento. E eu respondi sem nem respirar: Nova Iorque. E ela disse: escolhe uma data e marca. Treze de junho, respondi olhando o calendário.
E eis que fui mesmo, as quatro da tarde de uma segunda feira treze de junho, ao encontro de um amor que eu nem sabia que era capaz de sentir. Morrendo de medo, mas com uma certeza que nunca tinha experimentado nos meus anos neste planeta: de que estava indo construir o melhor capítulo da história da minha vida.
A aventura começou quando atravessei o corredorzinho da alfândega ao lado da Regina Duarte (juro por deus) e me acompanhou até o último segundo em que vivi por lá. Nunca vou esquecer dos primeiros momentos, do taxi com motorista indiano, dos prédios que me fizeram sentir num filme do Woody Allen e da sensação exata que descreveu minha amiga Mariana: de ser abraçada. Nova Iorque é uma cidade que abraça. E é um abraço delicioso. Não é a toa que a maioria das histórias que você vai ouvir de gente que mora lá começam com ‘vim passar uns dias, me apaixonei pela cidade, já passaram-se vinte anos e não consigo ir embora’.
É esse tipo de amor que a gente encontra lá. Principalmente depois de sair na rua vestindo pijamas. De cachorrinhos. Para comprar vodca. Durante um furacão. Juro.
 *Grazi Meyer é atriz, blogueira {Ruiva, Magra e Rica}, Dj e It girl. Ela também é puro amor!
Anúncios

3 comentários sobre “Nova Iorque, eu te amo

  1. Jules disse:

    <3

    É isso mesmo…

    Mas vejo Nova Iorque como uma cidade para jovens e solteiros, businessmen e artistas. Não acho a cidade um lugar família. Ou, quem sabe, só eu pense assim…
    Comi a melhor pizza quatro queijos EVER em uma esquina, em um cafofo qualquer.

  2. Ligia Baleeiro disse:

    Não sei Julie, pode ser, a idéia que eu tenho é bem hollywoodiana, de que em NY tudo é possível, que as pessoas vão pra lá pra encontrar o amor. Mas sempre pensei nesse amor como alguém, um boy magia . E depois de ler o texto da Grazi entendi que é o amor mesmo, a bolha amor, o amor que tá dentro da gente!

    Óin <3

    ps/ se tu fizer algum vôo pra lá, PLEASE, vamos nos encontrar né!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s