A força feminina está tomando conta do mundo

Mulheres, se vocês ainda não  perceberam, somos nós é que estamos no comando.
Multitarefa, conseguimos pensar e fazer várias coisas ao mesmo tempo: trabalhamos, cuidamos da casa, filhos, marido, gato e papagaio, pensamos em tudo e ainda temos tempo para sermos lindas. Há quem olhe isso como uma sobrecarga mas, muitas vemos como um super poder. Sim, nós temos o poder – girl power,  já ouviram falar?

Cristóbal_Escanilla_photography_04-652x441

Esta força feminina que toma conta do mundo ativou ações como o Think Olga, – que propõe elevar o nível de discussão sobre a feminilidade – e o Chega de Fiu Fiu. Movimentos como Eu não mereço ser estuprada e Marcha das Vadias (que nasceu no Canadá, vocês sabiam?) estão nas ruas para mostrar que somos donas de nós mesmas. Existe até um seguimento cinematográfico, por assim dizer, que identifica filmes onde existem personagens femininos com dilemas não centralizados em homens – por que nós temos tantos outros problemas além deles, não é? Chama-se Bechdel.

Mudanças como a busca pelo verdadeiro, pelo prazer em fazer o que se ama, a maneira que nos enxergamos e nos aceitamos – seguindo a estética da naturalidade e nossa relação de amor com o que somos – também estão gerando outras tantas quebras de paradigmas. E como essas transformações culturais não respingariam na maneira que expressamos nossa sexualidade e consumimos do erótico?
Em 2011 quando chegou ao grande público o livro Cinquenta Tons de Cinza, houve uma comoção. Enquanto muitas mulheres, sedentas por novidades no pornsoft correram para ler, outras tantas o rejeitaram prontamente. Por que será? Seria puro pudor? Afinal de contas, cada um tem a sua sexualidade e deveria expressá-la apenas entre quatro paredes, certo? Bom, já não é mais assim que a maioria pensa.
Cristóbal_Escanilla_photography_01-652x437 Cristóbal_Escanilla_photography_10-652x437
Com esta nova consciência, estamos nos sentindo mais a vontade com nós mesmas e podemos sim expressar nossa sexualidade em todo o lugar – pois há maneiras e maneiras. O mundo do erótico então, começou a prestar mais atenção em nós.
Em Porto Alegre, temos o Valentina Bar18+ – primeiro bar temático de erotismo do Brasil. E sabem de uma coisa? Está sempre cheio de mulheres.
Vemos cada vez mais fotógrafos como Cristóbal Escanilla e Mona Kuhn, que focam na sensualidade mas tem uma estética super sensível, com mulheres reais mostrando seus corpos e suas marcas. Além da Scarlett Johansson, com seu nu frontal, mais uma vez mostrando que está bem pertinho de nós.
Até os filmes adultos estão vendo um grande público no gênero feminino, e investindo em uma estética muito mais delicada e alinhada com a realidade, fazem parte do soft e alt porn. Stoya, a musa pornô do momento, está bem fora dos padrões que sempre vimos em filmes adultos: magrinha, seios pequenos, com cara de normal girl e super engajada na internet – tem twitter e é colunista da Vice. E quando é que você pensou que uma atriz pornô pode ser também escritora, ou feminista? A nossa mente está cheia de pudor, estereótipos e tabus.
Outros filmes do circuito “normal”, como Azul é a cor mais quente e Ninfomaníaca, tem seu foco na sexualidade e falam da busca dessas mulheres através do sexo. Seus discursos estão alinhados com o seu tempo – tudo que elas fazem é porque gostam. Isso tudo pra mostrar que tudo bem gostar de sexo – já que todo mundo gosta, não é mesmo?

instagram duck egg blue email duck egg blue pinterest duck egg blue facebook

Anúncios

Um comentário sobre “A força feminina está tomando conta do mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s